sábado, 13 de dezembro de 2008

João de Gilu - Paulo Maciel

O romance de uma família escrito por Paulo Maciel conta as aventuras de um vaqueiro, empregado da fazenda de seu avô, na região do Rio São Francisco, próximo à cidade de Juazeiro no estado da Bahia.

Ainda criança, o autor escolheu como ídolo o personagem que deu título ao livro e decidiu homenageá-lo. Não teria ocorrido o fato se ele não tivesse mantido os valores, e princípios de reconhecimento profissional que o diferenciou de muitos executivos.

Não bastasse dedicar um espaço razoável para contar a história do homem simples que cumprira suas tarefas montado em um jegue, o autor o colocou como título da sua obra. Ratificando, desta forma, o respeito que tinha pelo trabalho, independente da importância social, política e intelectual do ser humano.

João, filho de Gilu, arrastou-se feito um bicho na caatinga, fazendo sentinela, até se vingar de um cangaceiro do bando de Lampião, ao ter sido informado das agressões do bandido à sua irmã.

Ao identificar-se como o princípio de justiça, enaltecendo a vida de João de Gilu, o autor desnuda a sua própria história ao narrar fatos ocorridos na família, sem se preocupar com avaliações, preconceitos, críticas e observações que possam diminuir seus feitos.

Quando os propósitos são bons, e as ações não se desenvolvem na forma desejada, sempre existe a possibilidade de se redimir. Penso eu, que Paulo Maciel tinha esta convicção, desnudava-se ao lutar por princípios que acreditava judiciosos.

Informações sobre o autor – Paulo Maciel é filho de Juazeiro na Bahia. Pai de três filhos faleceu em 2008 vitima de câncer de próstata. Autor de mais três outros livros e colaborador de jornais de Salvador.


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Ocorreu um erro neste gadget