sábado, 13 de dezembro de 2008

Sobradão - Lúcia Guedes Mello

O livro Sobradão narra a história da família Guedes Mello, com riqueza de detalhes que se aproxima de um mensário.
A antiga cidade de Salvador, na Bahia, serve de palco para as peripécias da autora, lutando contra preconceitos e barreiras impostas às mulheres, especialmente às mais jovens que eram impedidas de escolher as profissões, as companhias, e especialmente a quem oferecer o seu amor.

Ao escrever as suas memórias, Lúcia Guedes Mello brinda o leitor com o relato de eventos históricos importantes da vida cultural e política da cidade.

A autora que sempre valorizou a educação tem uma paixão especial pela literatura e pela música. Tornou-se cantora lírica, em um momento que a sociedade soteropolitana tinha restrições a artistas, mesmo os famosos.

Lúcia Guedes não perdeu nenhum detalhe na narrativa.
Fala da “telha-vã” existente nos sobrados; dos cães “Biribando, e Whisky”; dos apelidos colocados carinhosamente nos transeuntes “Bananeiras, Quiabo Duro, Pau de Fósforo, Tá Fundo ta Raso, e Araponga”; e da “Turma do Campo Formoso” dos veraneios na Ilha de Itaparica.
Relata como se livrou da galinha “Chimbica” sem que sua filha Alba percebesse, e a solução encontrada para o vestido de noiva de Eugênia, sua outra filha.
Descreve as experiências de cantar a ópera Cavalleria Rusticana, e de representar Mme. Batterfly.

Lúcia Guedes entremeia conceitos e valores pessoais, quando cita: A morte é uma etapa importante da vida, mas não é o seu objetivo nem o ponto final”.
“Há uma lacuna entre o modo como percebemos as coisas e a realidade”.

A mulher forte e objetiva que lutou por seu espaço na sociedade moderna, conseguiu criar seus muitos filhos, vencendo barreiras, morando em sobrados da velha São Salvador.

Informações sobre o autor – Lúcia Guedes Mello nasceu em setembro de 1922, em Salvador, foi diplomada em farmácia pela primeira Faculdade de Medicina do Brasil, em 1943. Viveu sua vida profissional dedicada ao ensino. Cantora lírica foi fundadora do Grupo Experimental de Ópera da Bahia e da Sociedade de Cultura Artística da Bahia.

Um comentário:

  1. Dona Lucia... Nao so' viveu uma vida rica, mas enriquece ate' hoje a vida dos outros... Eu tenho a sorte de fazer parte desses "outros". Obrigada! Ellen v. W.

    ResponderExcluir


Ocorreu um erro neste gadget