domingo, 12 de setembro de 2010

Bipolar – Terri Cheney

A autora relatar fatos ocorridos no seu cotidiano e a dificuldade de viver com a alternância do estado de euforia e depressão. Mostra a dificuldade de esconder a perturbação psíquica para não prejudicá-la profissionalmente.
O seu estado de espírito definia a sua vida e o mundo real se tornou difícil de ser identificado. As conseqüências dos seus atos, quase sempre, não atendiam às boas intenções, apesar de alguns momentos de euforia lhe tenha favorecido profissionalmente e em outros proporcionaram desconforto e angustia.
O reconhecimento da situação psíquica era um fato real, contudo, a atitude para minimizar a crise se constituía numa barreira intransponível. O desejo para coisas extremas aparecia, sempre, amparado por uma farta energia e após os feitos vinha,  a reboque, a necessidade de restabelecê-la.
O sofrimento de esconder a situação começou a acabar quando, Cheney, decidiu revelar a amigos a sua condição psíquica e foi em busca do controle da sua verdade. Diz, ela: “Contar a verdade é uma dança como qualquer outra, com passos, ritmos e etiqueta. Eu tinha levado a vida inteira para aprender a mentir. E, agora, teria que dedicar um pouco mais de tempo para estudar a arte da revelação.”

O texto é uma contribuição importante para os leigos que desejam conhecer, superficialmente, a vida de uma pessoa bipolar, e, por certo, ajudará a identificar atitudes e comportamentos que levem ao entendimento, aceitação e quebra de preconceitos.

Informações sobre a autora – É advogada especializada em propriedade intelectual e contencioso de entretenimento. Depois de anos lutando secretamente com psicose maníaco depressiva, decidiu abandonar a profissão e se dedicar à causa das doenças mentais. Foi nomeada membro do conselho de consultores do Programa de Pesquisas sobre Desordens do Comportamento da Universidade da Califórnia, Los Angeles, e fundou um grupo comunitário de apoio no Instituto de Neuropsiquiatria da UCLA. Mora em Los Angeles, Califórnia.

Referências Bibliográficas
Cheney, Terri
Bipolar / Terri Cheney; tradução Júlio de Andrade Filho e Clene Salles. – São Paulo: Larousse do Brasil, 2008.
Título original: Manic.
 ISBN 978-85-7635-284-6
1.    Cheney, Terri, 1959 – 2. Pacientes de transtorno bipolar – Biografia. 3. Transtorno bipolar. I. Título.

Um comentário:

  1. Acho tão curioso uma lista que contém Tolstói, Kafka e Dostoievski conter escritores subliteratos como Lya Luft, Irvin Yalom e Chico Buarque? Os dois primeiros eu até perdôo, mas Chico Buarque? Sério? Enfim, aproveitando gostaria de recomendar os livros do Somerset Maugham, Oscar Wilde e George Orwell, leia e escreva uma crítica depois. As críticas alias estão bem escritas, o único porém e que contam toda a história do livro ao invés de somente apresentá-las vagamente ao leitor que ainda não as conhece.

    ResponderExcluir


Ocorreu um erro neste gadget