sexta-feira, 16 de julho de 2010

Criação Imperfeita – Marcelo Gleiser

A descrição sobre a origem do Universo, feita pelo físico Marcelo Gleiser, conduz o leitor a acreditar que se a Natureza fosse perfeita não estaríamos aqui.
A maioria dos cientistas procura por uma explicação da origem do Universo baseada nas simetrias, contudo, Gleiser esclarece que se não fosse as assimetrias, provavelmente, a vida não existiria. Pode-se concluir que as mutações ocorridas na Natureza são responsáveis pela evolução da vida até chegar ao nível da consciência humana. A nossa existência se deve às imperfeições no processo de reprodução genética.

Sobre os humanos o autor esclarece que pouco importa se somos ou não os únicos seres conscientes no Cosmo, já que as distâncias no Universo impossibilitam qualquer tentativa de contato.

A procura por uma “Teoria Final”, perfeita, que esclareça a criação do Universo, pesquisada com obstinação pelos cientistas, provavelmente, nunca será elucidada.  Vivemos em um Universo imperfeito, bem diferente das nossas expectativas de simetria e beleza. Aliás, a assimetria, diferente do que muitos imaginam, em muitas situações, é quem traz a encanto.

Gleiser prepara os leitores menos familiarizados com as leis da física, esclarece as teorias e descobertas feitas pela ciência, nos leva a entender o processo da criação com o uso de uma linguagem clara e sem agressão às crenças religiosas. Consegue esvaziar nossa expectativa a respeito da necessidade de busca por um sentido do homem na Terra. Para ele somos obra do acaso e estamos aqui por um processo evolutivo.

Marcelo Gleiser diz que a nossa visão de mundo é determinada pelo que podemos ver e medir e que a Fé brota da nossa dificuldade de lidar com o imprevisto, o que foge ao nosso controle ou não somos capazes de compreender. Somos únicos e especiais, não porque fomos criados por Deus, ou por sermos resultado de uma intensionalidade cósmica, mas, porque estamos vivos e temos consciência da nossa existência.

O livro é contemporâneo e remete o leitor à reflexão de conceitos familiares e religiosos que oferecem conforto psicológico. Apesar de o tema ser complexo a linguagem é simples, direta e a forma estimula a leitura. Ao encerrar a última página, ninguém sai como entrou... 

Informações sobre o autor – Marcelo Gleiser é professor de Filosofia Natural e de Física e Astronomia no Dertmouth College, onde dirige um grupo de pesquisa em física teórica. É autor de “A dança do universo” e “O fim da terra e do céu”, ambos vencedores do Prêmio Jabuti.
 
Referência bibliográfica
Gleiser, Marelo, 1959
Criação imperfeita / Marcelo Gleiser. 3ª edição - Rio de Janeiro: Record, 2010.
366p.
ISBN 978-85-01-08997-7
1. Criação. 2. Religião. 3. Matéria – Constituição. 4. Deus. I. Título.

5 comentários:

  1. Meu irmão,
    Não concordo com o que Marcelo coloca no texto anexo (destaquei os itens principais acima), pois nada é obra do acaso, conforme as leis matemáticas descobertas pelos cientistas e apresentadas quando da exposição dos "Fractais".
    Não somos resultado de assimetria e sim de uma simetria evolucionária, atendendo ao princípio evolutivo, que se inicia no Plano Material, em seguida no Plano Vegetal, Animal, Hominal e o último o Plano das Energias.
    Cada plano obedece ao estado de tamas, rajas e sátivas que são os estágios de escuridão, iluminação e conscientização, havendo a saturação e a mudança para novo plano.
    Cada plano desse compõe-se de cinquenta milhões de anos, sendo que no plano Hominal são 49 milhões de anos encarnando (na Cabala são chamados as 49 portas de Binah, refletida pela Coroa de Keter) e um milhão de anos no Kamaloca onde se dá a separação do corpo físico da alma e do espírito, adentrando o plano das energias separadamente.
    A Natureza é dotada de leis perfeitas e absolutas que regem todo o processo evolutivo (Lei do Amor, Lei de Causa e Efeito, Lei de Atração e Repulsão, Lei de Coesão, e outros), onde a matéria fisica, desde a raiz das encarnações, inicia seu processo evolutivo após a saturação da matéria decorrente da involução (princípio do Big-Bang).
    Em todo esse caminhar as energias inteligentes, pensantes, imaginárias estão presentes. Entretanto nesse caminhar evolutivo, quando essas energias tomam "consciencia", passa a vigorar o poder de liberdade - livre arbitrio ( ou assimetria como ele chama) - permitindo ao conjunto Matéria-Alma-Espírito, alterar o processo evolutivo pois esse caminhar é junto até o Kamaloca.
    Nada o que ocorre nesse Universo perfeito é por acaso pois obedece a uma lógica pensante....cabe uma ressalva quanto a capacidade do livre arbitrio que leva a esse conjunto a passar por efeitos de causas cometidas durante o seu processo evolutivo que ocorrem em outras momentos de sua jornada (encarnações sucessivas), muita bem colocada no ditado " A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.
    Coloco que a Fé é a recompensa do saber, que tem a ver com o aprendizado decorrente das dificuldades que passamos por nossa livre e expontânea vontade.
    Melhor discutirmos acompanhado de umas ampolas absolutamente geladas que o papo éempolgante..pois isso é assunto para todas as existencias.....haja estudo....
    Abração mano.
    Jorge Martins

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. foi um belo comentário Jorge! Parabéns. Vc eh físico tbm?
      Abraços
      Renato

      Excluir
  2. O importante é que não se afirme nada que não se possa provar empiricamente.
    O que não significa dizer que não se deve crer em nada que não se possa provar empiricamente.

    As piramides existem. Ou não?

    A ciência persegue os mistérios... alguns sonham integrá-los... me parece que o Gleiser outro caminho...

    Não se pode chamá-lo de incoerente... discordar sim.

    ResponderExcluir
  3. A reencarnação não tem comprovação empírica, portanto não é verdade.

    ResponderExcluir


Ocorreu um erro neste gadget