sábado, 1 de agosto de 2009

A Metamorfose – Franz Kafka

O texto metafórico, escrito por Kafka, faz uma crítica rigorosa à instituição familiar.
Apesar de não ser autobiográfico, muito do que se ler remete à Carta ao Pai, também escrita pelo autor, no qual retrata o seu relacionamento com o pai.
Os conflitos, levados pela falta de aceitação da figura paterna, permeiam a obra do autor e possibilita inúmeras reflexões. Isto ocorre, também, nos livros O Castelo, e O Processo.
Kafka surpreende e encanta pela complexidade existencial. Transforma o cotidiano em um estado surrealista e imprime perplexidade na reflexão do tema.

Considerada uma das obras literárias mais importantes do século vinte, o livro A Metamorfose, convida o leitor a acompanhar os sentimentos de Gregor Samsa, caixeiro viajante, surpreendido, ao acordar, com o corpo na forma de um inseto. Gregor, já inseto, pensava e sentia como humano e sua família demonstrava sentimentos de repulsa e desconforto com a situação.

O surrealismo escolhido por Kafka para discutir o tema, alcança objetividade clara e direta, no momento que o leitor embarca no conceito filosófico da obra. O autor manipula o personagem e surpreende o leitor logo na primeira frase do texto: Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamofoseado num inseto monstruoso”.

Kafka mostra as transformações ocorridas em função de mudanças provocadas pela orígem do dinheiro que promovia a manutenção da família, pela imposição moral e alienação intelectual, ausência de liberdade, sentimento de culpa, além de outros temas relacionados à humanidade.
Isolado em seu quarto, excluído pela empresa e ignorado pela família, Gregor, sentiu, no corpo de um inseto, os reflexo das atitudes humanas e percebeu o incômodo da submissão social.

O surrealismo, escolhido por Kafka para transgredir a sociedade, valendo-se da situação para excluir-se da família e dos valores sociais impostos, é algo inimaginável para a época, já que o livro foi escrito em 1912. Além dos conflitos familiares, Kafka, escolhe a forma para questionar as imposições do regime capitalista, negando-se a trabalhar.

O leitor que enfocar o personagem como vilão em vez de vítima pode perceber a tendência da obra, na qual, Kafka, travestido de Gregor, mostra a imposição de mudança comportamental na família, cuja sobrevivência dependia financeiramente dele. Metamorfoseado, Gregor, liberta-se da pressão político-social e o que parece castigo transforma-se em liberdade.

Eleger A Metamorfose como um das obras literárias mais importantes do século vinte, sem dúvida não é exagero.

Informações sobre o autor - Franz Kafka nasceu em Praga a 3 de julho de 1883. Filho de um abastado comerciante judeu cresceu sob as influências de três culturas: a judia, a tcheca e a alemã. Formado em direito, ele fez parte, junto com outros escritores da época, da chamada Escola de Praga. Esse movimento era basicamente uma maneira de criação artística alicerçada em uma grande atração pelo realismo, uma inclinação à metafísica e uma síntese entre uma racional lucidez e um forte traço irônico.

9 comentários:

  1. Gostei do comentário e a abordagem relativa ao texto lido.
    Com muita propriedade e visão sistemica, a retratação do texto nos convida a leitura desse considerado uma das obras literárias mais importantes do século vinte.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. gostei muito,é uma exelente leitura

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei muito do livro, tanto é que já li duas vezes e ele é um dos meus favoritos...e gostei do que foi escrito aqui :D

    ResponderExcluir
  4. Vale a pena também ler "A metamorfose" de Luis Fernando Veríssimo. Faz uma paródia do original com uma genialidade de poucos.

    ResponderExcluir
  5. É preciso ter uma percepção afiada pra compreender,quero dizer, ter uma visão melhor da metáfora que é essa obra do Kafka. Gostei bastante De ler esse texto, me fez refletir de uma maneira melhor e bem mais profunda. Não que eu já não houvesse refletido bastante a respeito, mas me ajudou a ter uma visão bem maior a respeito do livro.
    Parabéns pelo blog :**

    ResponderExcluir
  6. Parabéns. Uma crítica muito bem elaborada dessa magnífica obra.

    ResponderExcluir
  7. Ótimo comentário de um dos melhores livros que já li na minha vida, Kafka cria um universo Surrealista-Realista, pois nos sentimos como insetos parasitas nesta sociedade Capitalista.

    ResponderExcluir
  8. Que lindo seu comentário. Esse livro é sensacional!

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito do comentário, pois, de forma bem lacônica, é dito muito sobre a obra. Admiro o brilhantismo de Kafka, uma vez que, valendo-se do grotesco, isto é, da metamorfose de Gregor Samsa, nos passa uma profunda lição quanto ao fato de o ser humano, até mesmo no ambiente familiar, ser apreciado não pelo que sente ou pelo que é, mas pelo que produz, pensamento forjado aos moldes de uma sociedade estereotipada pelo sistema capitalista, que torna ainda mais pujante o pendor humano para o egoísmo.

    ResponderExcluir


Ocorreu um erro neste gadget