sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

A cidade do sol - Khaled Hosseini

O livro A cidade do Sol escrito por Khaled Hosseini também autor do best-seller “O Caçador de Pipas”, relata as histórias de duas mulheres no Afeganistão. Comove o leitor pela alienação religiosa que permeia a história intensificada pelo conturbado período das guerras civis, a invasão soviética, e a ocupação americana.

Duas mulheres amaldiçoadas pela sorte são humilhadas de forma deplorável, jamais imaginada por povos do ocidente.

Mariam, trinta e três anos, filha ilegítima de Jalil, empresário de uma cidade próxima à fronteira com o Irã, se viu obrigada pelas esposas do pai a se casar com o estúpido Rashid, de 45 anos, tradicional comerciante de sapatos, sabendo da obrigação de lhe dar muitos filhos.
O relacionamento tornou-se intolerável quando Rashid passou a desejar um herdeiro e Mariam teve uma série de abortos. Ele a penalizou pela incapacidade de procriar, espancando-a sem piedade.

Laila, a outra mulher da história, aos quatorze anos, filha de um professor que morava próximo à casa de Mariam e Rashid, foi surpreendida quando um foguete disparado durante as guerras civis explodiu sua casa, matando os seus pais.
Grávida do namorado Tariq, também adolescente, que havia mudado de cidade sem se dar conta do ocorrido, resolve aceitar o convite do estúpido Rashid e torna-se a sua segunda esposa.
No início, o conflito entre as duas mulheres foi estimulado por Rashid ao declarar sua preferência por Laila. Ele sabia que Laila estava grávida de Tariq, e ela insinuava que o filho que carregava na barriga era do comerciante de sapatos.
Posteriormente, as duas mulheres se voltam contra o marido devido às atitudes agressivas e resolveram se unir para derrotá-lo e driblar o regime político.

O livro trata de forma emocionante das privações, humilhações, e ofensas e das emoções que culmina com o reencontro de Laila e Tariq.

Por fim, a carta escrita por Jalil à filha Mariam é uma exposição sobre o despreparo do homem ao se deparar com as vicissitudes da vida.

“..., no fundo, sabia que era tudo o que podia fazer. Viver e ter esperança.

Informações sobre o autor - Khaled Hosseini é médico nascido em Cabul capital do Afeganistão, com naturalização estadunidense. Sua mãe era professora e o seu pai trabalhou no Ministério do Exterior afegão. Em 1976 mudou-se com a família para Paris por conta do emprego do seu pai. Enquanto estavam em Paris, os comunistas assumiram o poder. Formou-se em medicina na Universidade da Califórnia em San Diego, Estados Unidos.

Um comentário:

  1. Relato denso, tenso e dramático de uma realidade dura e totalmente ignorada pela maioria dos ocidentais, realmente. Chorei várias vezes mas adorei ler.

    ResponderExcluir


Ocorreu um erro neste gadget